Cada vez mais as empresas se preocupam em coletar dados de usuários na internet e vendê-los para empresas como Cambridge Analytica ou alguma outra que pague bem por essa massa bruta de dados de consumo, localização, fala e compras online que geramos diariamente. Cada viajem non Uber, cada busca ingênua no Google, cada email com um currículo anexado, cada corrente no WPP com GIF de gatos com glitter; enfim, cada (micro)ação que realizamos na internet deixa um rastro no provedor, na rede social, nos cookies e em todo o lugar. Hoje em dia é quase impossível controlar isso completamente porque as entranhas da nova web são feitas de modo que a navegação e utilização de uma internet com foco em privacidade seja quase impossível. As grandes redes sociais, as empresas modernas e com puffs coloridos na entrada do escritório, querem todas a mesma coisa: seus dados.Você pode ser o Snowden entregando o governo americano ou você pode ser uma pessoa que se preocupa com o Google sabendo quanto custou a pizza no iFood. Não importa. Privacidade (e o direito a ela) é algo fundamental. Não é porque eu não faço nada errado que eu não me importo em ter o governo e as empresas lendo meus emails pedindo emprego.Pensando nisso eu fiz um guia rápido e prático, que conversa com a minha página de indicações, dos serviços que eu acho que você deve evitar e aqueles que você deve usar caso se preocupe com privacidade.


Gerenciador de senhas

Primeiro de tudo você deve evitar salvar as suas senhas no navegador diretamente. Qualquer vazamento do banco de dados do navegador (como o Google Chrome) pode expôr todas as suas senhas e cartões bancários. É cômodo usar o pagamento automático direto, claro, mas é melhor ainda não passar por qualquer problema com o cartão, senhas ou conta bancária.Segundo, o melhor a ser usado é um gerenciador de senhas. A ideia principal desses aplicativos é ter de se lembrar de apenas uma senha (a senha mestre do cofre que guarda todas as suas outras senhas) e de quebra poder gerar automaticamente senhas longas e complexas que vão impedir um ataque por força bruta/dicionário.Minha recomendação aqui é o bitwarden.

Autenticação em dois passos (2FA, 2-factor-authentication)

Use para tudo. Seja o código gerador por aplicativo (como os que temos em aplicações como Steam e Battle.net) ou mesmo por SMS (aliás, eu prefiro código por SMS porque nem sempre eu tenho internet mas eu sempre tenho um sinal telefônico que pode receber SMS).

Redes sociais

Não use.OK, é muito complicado não usar nenhuma rede social (todo mundo usa pelo menos uma, nem que seja o WPP). Mesmo com a assinatura do GDPR na Europa e da lei de acesso no Brasil, ainda assim, evite redes sociais e colocar informações pessoais demais nelas. Encare-as como grandes murais público de discussão e não como um espaço seguro para falar sobre aquele seu fetiche ou a sua coleção de hentais.

Mensageiros

Evite Telegram e WhatsApp. Apesar do primeiro se vender como um grande porto seguro para mensagens, ele não é criptografado de ponta-a-ponta por padrão (ou seja, ele é menos seguro do que o WhatsApp, teoricamente) e as suas mensagens podem ser lidas e os metadados delas podem ser usados como fonte de renda por um russo maluco qualquer.Se você quiser se comunicar com segurança a minha recomendação segue sendo o Signal. Melhor comunicador criptografado que eu conheço até o momento.

Computadores (de modo geral)

Não logue em nenhuma conta pessoa em um computador público. Não guarde senhas no navegador ou usando a sua conta de grandes empresas como Apple, Google ou MS.Criptografe todo o seu disco rígido.

VPN

Se você é mais paranóico que o comum e quer usar uma VPN, eu recomendo fortemente a ProtonVPN, do mesmo grupo suíço que faz o ProtonMail.Uma VPN é uma camada a mais de segurança na sua navegação diária. Quando você usa uma VPN todo o tráfego entre você e essa rede privada é criptografado (ponta-a-ponta) fazendo com que a comunicação entre você e a internet seja muito mais seguro (ainda que sensivelmente mais lento na maioria dos casos).TunnelBeartambém é uma boa VPN, ainda que muito mais cara.

Extensões

Privacy badger, HTTPS everywhere e uBlock Origin são as essenciais para se aventurar nesse mundo de internet pirata que recolhem cada clique do seu mouse.Ainda recomendo os containers de Facebook (e Messenger e Instagram) que a Mozilla mantém para o Firefox.

Nuvem

Evite usar Dropbox, Google Drive, iCloud ou o One Drive. Qualquer um destes serviços pode, e provavelmente vai usar em algum momento, os seus dados como moeda de troca com governos, empresas e, principalmente, lhe transformará em um produto rentável (para eles).Como solução você pode montar o seu próprio armazenamento em nuvem com sincronização e espaço delimitado por você mesmo (e pelo seu bolso, HDD ainda custa caro). Mas é uma solução tech-savvypara maioria das pessoas, então, a minha recomendação recai no NextCloud

Email

Não seu o Gmail. Nem o iCloud e muito menos o Outlook. Todos esses serviços, por melhores que sejam, podem ler seus dados e suas mensagens, tendo assim acesso às suas conversas, dados e informações sensíveis.Minha recomendação aqui, caso você não queira montar o seu próprio servidor de email, e usar o ProtonMail, serviço de email criptografado e protegido (com duas senhas, uma para o serviço e outra pra caixa de entrada). Também é possível enviar emails protegidos com senhas (mas a senha precisa ser comunicada para o destinatário previamente).

Buscadores

Por favor use o DuckDuckGo. O Google, além de lhe colocar em bolhas que lhe direcionam sempre para anúncios pagos, também lê e usa todas as informações e dados que você gera diariamente.Se você quiser se embrenhar mais no mundo da segurança e da privacidade, ainda pode usar o Searx, um buscador instalado no seu próprio host, assim você tem controle total sobre como funciona e ainda pode fazer uma média ao ter o seu próprio buscador.