Cada vez mais o Brasil está sendo fatiado e vendido à iniciativa privada de forma a gerar mais lucro com base no sangue dos trabalhadores e cidadãos do país.A nova onda mundial é a coleta de dados e posterior revenda para empresas segmentarem anúncios dos mais variados — desde produtos até candidatos — para que assim as empresas consigam maximizar o seu ROI sobre o marketing digital. Pulseiras inteligentes que guardam dados de saúde como pressão arterial e frequência cardíaca não estão aí por acaso, esses dados, em conjunto com seu hábitos de caminhada e locais de deslocamentos são ouro puro para empresas de transporte como Uber e planos de saúde que, em posse dos seus dados de saúde, podem “customizar” um plano de saúde perfeito pra eles (e inútil pra você) onde se cobra caro pelas doenças que você não tem e ainda mais caro pelas doenças que você já tem.Alguns anos atrás o prefeito de São Paulo, João Dória, resolveu que era uma boa vender os dados dos usuários do bilhete único à iniciativa privada e assim entregar todos os hábitos de deslocamento (casa/trabalho/lazer) de centenas de milhares de pessoas da cidade. O mesmo foi tentado em Porto Alegre (não por nada outra capital administrada pelo PSDB) sem sucesso, contudo.Agora o buraco é bem mais embaixo. O governo federal, o bócio do Paulo Guedes (é ele quem manda ali, o Bolsonaro é o tiozão bonachão que fala merda), resolveu que a SERPRO e a DATAPREV não servem pra nada e vão vender para empresas privadas os dados de milhões de brasileiros sobre documentos, projetos, estratégias e aposentadorias.>O governo Bolsonaro quer entregar todos os nossos dados a empresas comerciais estrangeiras. Quer privatizar empresas estratégicas até para a segurança nacional, agindo sem critério nenhum, lidando com empresas estatais como se fossem camelôs, de modo irresponsável, vendendo empresas que são do povo brasileiro, não deles, sem critérios razoáveis! “Só para se ter uma ideia, vamos levar em consideração a DATAPREV, quando você nasce, você já está dentro do banco de dados, porque a relação não é só com a previdência, mas também com os cartórios e com outros órgãos de governo também. Toda a movimentação cartorial que é feita, após 24h essas informações vão para o banco de dados da DATAPREV. Então se você nasce, se você morre, se você vende, sua vida trabalhista. Quanto ao SERPRO, todas as informações ficais, contábeis, sociais estão dentro dessa base de dados. Então, quem eu sou, onde estou, como estou, quanto recebo, quanto gasto, quanto invisto, quanto eu compro, o que eu compro, onde eu compro, se eu saio do país, se eu entro no país, se sou brasileiro, se sou estrangeiro. Das pessoas jurídicas, tudo. Agora eu pergunto: por que tem empresas como a Amazon e a Google estão interessadas em comprar o SERPRO? Se são empresas que não funcionam bem, que estão sucateadas, que não interessam, por que essas grandes empresas internacionais têm interesse? Porque essas informações são fundamentais. São as informações de todo o povo brasileiro, de todas as empresas e do governo. Tudo que o governo paga, tudo que ele recebe, os dados administrativos e financeiros de todos os empregados do governo, todas as compras, todas as licitações, o que o governo faz de fiscalização e arrecadação em portos, aeroportos e vias terrestres. Tudo isso.” Enquanto isso a esquerda discute cancelamento, poesia, se branca pode usar turbante e se deveria existir um banheiro de gênero neutro.###Referências https://alexandre-atheniense.jusbrasil.com.br/noticias/2556744/empresas-vendem-dados-pessoais-do-consumidor-na-internethttps://economia.uol.com.br/noticias/bloomberg/2018/06/08/venda-de-dados-pessoais-e-proximo-passo-da-revolucao-de-big-data.htmhttps://olhardigital.com.br/noticia/esquema-de-venda-de-dados-no-brasil-mostrava-informacoes-ate-mesmo-do-presidente-jair-bolsonaro/85038https://olhardigital.com.br/fique_seguro/noticia/avast-coleta-e-vende-dados-de-navegacao-dos-usuarios-ha-anos/94239https://brasil.elpais.com/brasil/2017/03/28/internacional/1490738196_593249.html