Pequeno comentário sobre o artigo “ Is Donald Trump’s Response to Coronavirus a Crime Against Humanity?” que eu traduzi.Sempre foi de conhecimento geral de qualquer brasileiro, eleitor ou não do atual presidente Jair Messias Bolsonaro, de que o grande espelho dele seria o atual presidente dos EUA, Donald Trump. E isso sempre agradou sobremaneira a imensa maioria dos seus eleitores, verdade seja dita. A ideia de ser uma “nova América” no sul do continente, ignorando o tratamento colonial que os EUA reserva aos países daqui, sempre povoou o imaginário de boa parte da nossa classe média e, bem, essa classe média jeca e brega está no poder atualmente.Indo de devaneios comerciais como a entrada do Brasil na OCDE como membro “permanente” e passando pela continência à bandeira dos EUA (algo que é vetado aos brasileiro, uma vez que todos nós, homens, juramos à bandeira nacional (brasileira) quando fizemos 18 anos) se tornou normal ver o Brasil em uma posição completamente subserviente à metrópole. E, ainda que isso seja ruim, não era exatamente algo completamente irracional e, bem ou mal, era um movimento que poderia ser modificado com um governo novo.Até agora.Em 2020 o mundo foi posto de joelhos. O capitalismo se curvou a um vírus de gripe. A pandemia bateu forte em grandes potências e todas estão isoladas socialmente, distantes e tentando manter o seu sistema de saúde minimamente funcional. Itália e Espanha já mostraram, da pior maneira possível, o que ocorre quando o país colapsa em seu cerne: saúde.Mas Jair e Donald ignoram isso. No norte do continente Donald diz que “pessoas vão morrer” ao olhar para mais de 70 mil mortes no seu país, no sul Jair diz “e daí” enquanto o seu país bate em 10 mil mortes. Ao norte Donald quer reabrir o comércio e que tudo volte ao normal, ignorando que não existe mais normal; ao sul Jair entra na justiça, flerta com o golpe e faz “ lives” diárias para pressionar as autoridades de saúde do país a abrirem o comércio.No norte, Donald já tem em si a sombra de um possível crime contra a humanidade. Ao sul, Jair também. Genocidas ignorantes e boçais elevados ao poder das duas maiores nações do continente americano com base em notícias falsas, conservadorismo carola e mentiras eleitorais, financiados por alguma instituição obscura, por pastores religiosos que se beneficiam do poder deles e, principalmente, pelo elevador poder que emana das redes sociais para as ruas.Aqui Donald nos parece menos maluco, de lá, Jair parece menos malucos. No final, ambos são malucos que se sustentam sob uma pilha de mortos e dinheiro.A humanidade acabará antes do capitalismo.** **A resposta de Donald Trump ao coronavírus é um crime contra a humanidade?América vai atingir mais de 200.000 mortes — das quais 90% desnecessáriasRespire fundo. 

Vá para o seu lugar feliz. 

Você vai precisar.Considere, por um momento, as duas frases a seguir.>1: “Aproximadamente 90% das mortes americanas de COVID-19 de agora podem ser atribuídas ao atraso do governo entre 2 e 16 de março”. Ela foi dita por um dos principais epidemiologistas do país. Leia de novo. 90% das mortes por coronavírus são desnecessárias.>2: “O povo do nosso país é guerreiro (…) Algumas pessoas serão afetadas? Sim. Algumas pessoas serão afetadas gravemente? Sim. Mas temos que abrir nosso país”. Este é Donald Trump, conhecido por algumas pessoas como “ o Presidente”.Tradução: América, você é dispensável   .Eu disse que você precisaria respirar fundo. 

Como isso faz você se sentir? 

Bravo? 

Vermelho de raiva? 

Atônito? 

Desnorteado? 

Todas as alternativas, talvez?Mas você está realmente indignado e com raiva o suficiente — tanto quanto deveria? Ao norte ~1500 pessoas estão morrendo por dia. Em 1º de junho, a previsão norte-americana de morte diárias — segundo as próprias projeções da Casa Branca — estará ao redor de 3000 mortes (o equivalente a um 11 de setembro

todos os dias).O plano de Trump de “reabrir a economia” — que não reabrirá a economia, porque você não pode fazer as pessoas saírem e gastarem dinheiro — fará esse número explodir. Teremos as 3000 mortes anunciadas com temor hoje, por dia .Deixe-me dizer tudo isso de forma ainda mais precisa.Até agora, cerca de 70.000 pessoas morreram de coronavírus. 90% dessas 70.000 mortes por coronavírus

são

desnecessárias: são cerca de

63.000

pessoas.Esse fato ainda não parece ter afundado na psique ou na consciência coletiva norte-americana — talvez seja muito feio, muito pesado para realmente suportar, ou talvez os americanos, como o mundo pensa, sejam realmente brutais — vou me abster desse julgamento a respeito dos norte-americanos.Vamos apenas fazer as contas.Já existem — nesse exato momento — 63.000 pessoas que morreram como resultado de negligência e inação por parte de uma administração que não fez nada para lidar com uma pandemia global de forma responsável.Primeiro, negou que houvesse algum problema. Então, enrolou um pouco mais. Em seguida, colocou estados um contra o outro. Bem, na verdade ele bloqueou o transporte de suprimentos vitais (alguém se lembra disso?) E os distribuiu como favores políticos. Em seguida, cortou o financiamento para a OMS — uma ação que o editor-chefe da Lancet, uma das principais revistas científicas do mundo, descreveu como um “crime contra a humanidade”.Este governo fez tudo o que pode para manejar uma pandemia de forma totalmente errada. Um cínico pode até dizer: bem, o que você esperava do tipo de homem que coloca crianças em gaiolas em campos de concentração? ** Que eles nobremente cavalgariam em seu socorro? Ou usariam a morte em uma escala inimaginável para obter ganhos políticos? Mas tergiverso, suponho.Mas e agora? Agora, o regime de Trump está prestes a adicionar um desastre à catástrofe, que já está em uma escala tão grande que fará parte da história. Como assim, você se pergunta?Vamos olhar para o futuro.Os Estados Unidos**

já estão

com mais de 60.000 mortes desnecessárias. Mas esse número está para explodir. Este é, novamente, um fato que os americanos não querem considerar, que parecem não conseguir refletir — e, no entanto, é horrivelmente verdadeiro. Agora, as próprias projeções da Casa Branca preveem algo em torno de 200 mil mortes em julho a, aproximadamente, a uma taxa de 3000 mortes por dia em junho. Vá em frente e faça as contas. 3000 pessoas por dia vezes 30 dias dá mais de 90.000 mortes. Teremos meses disso? Ok, então faça novamente as contas — e estremeça. No entanto, isso é apenas o começo. Porque essas projeções não levam em conta a “ reabertura da economia”, que eu coloquei entre aspas, porque, como já discutimos, reabrir a economia não reabrirá a economia — mas simplesmente aumentará o número de mortes da pandemia, acelerando-a ainda mais.A economia não vai “reabrir” magicamente só porque Donald Trump quer. Você não pode pegar uma economia pela buceta — desculpe. Tentar reabri-la agora só causará mortes em massa e depressão, pela simples razão de que, na medida em que uma pandemia se acelera, as pessoas ainda estão assustadas e simplesmente ficam em casa; as lojas e empresas, os hotéis, os bares, os restaurantes; todos ficam praticamente vazios, ou pelo menos vazios o suficiente para causar uma onda de falências que levará a demissões permanentes e não apenas a licenças. Você pode forçar as pessoas a “voltar ao trabalho”, mas não pode fazer com que gastem seu dinheiro — especialmente durante uma crise crescente.Bang! Lá se vai a saúde pública e a economia.É verdade, a propósito, que as pessoas estão sofrendo por conta da calamidade econômica. Isso não é culpa do vírus, é do governo. Todos os governos europeus passaram por uma combinação de garantir renda, congelar dívidas e aumentar o apoio. Os Estados Unidos, em vez disso, e sozinhos como sempre, ofereceram a famílias e empresas o equivalente a apenas uma semana de apoio. Claro, os americanos estão sentindo a dor. Mas a conclusão correta não é “Vamos tentar, futilmente, reabrir a economia enquanto o número de mortos ainda está aumentando — então adicionamos desastre à tragédia!” e sim “ o governo deveria estar fazendo muito, muito mais para dar às pessoas os recursos de que precisam em um momento de verdadeira catástrofe”.O que “reabrir a economia” realmente fará? Apenas espalhará a doença, mais rápido, de forma mais difícil de rastrear e de maneira mais mortal do que antes — fazendo a pandemia acelerar fora de controle. Quando as pessoas são forçadas a voltar ao trabalho, sem uma boa razão, espalhando a doença, essa taxa de mortalidade diária dispara — e continua por mais tempo também. A taxa de mortes passará de 3000 por dia para talvez 5000. 5000 pessoas morrendo por dia vezes 30 dias? São 150.000 mortes por mês . Uma onda crescente de mortes se tornará um tsunami — que serão, em geral, desnecessárias.Aliás, quantas destas serão desnecessárias mesmo? Pelo menos 90%, como os epidemiologistas já apontaram. Mas, na verdade, esta taxa está mais próxima de 100% delas. Principalmente porque reabrir a economia não terá nenhum benefício. O que você acha que as pessoas sãs e normais farão quando a taxa de mortalidade disparar além do imaginável? Sairão felizes para os bares, restaurantes, lojas, shoppings? Tirarão férias naquele hotel adorável? Ninguém além dos extremistas “ manifestantes lunáticos do bloqueio da libertação”sairá nas ruas e as pessoas comuns se agacharão em casa, assustadas e com medo de si mesmas, segurando cada centavo que têm.Bang! Reabrir a economia cedo demais produz depressão e tragédia humana de mortes em massa .Agora temos uma onda de mortes em massa em uma escala verdadeiramente inimaginável. Essa estimativa de 200 mil mortes em dois meses ou mais é o que já temos agora. Isso se tornará 300 mil ou mais com a reabertura econômica. Então, possivelmente chegaremos a meio milhão de pessoas mortas, porque a pandemia agora dura mais e podemos ver a curva se estendendo para o horizonte quase que infinitamente.Se você acha que isso não é razoável, considere o seguinte: para chegar a meio milhão de mortos, você só precisa de cerca de 5500 mortes por dia durante três meses. Atualmente, as 3000 mortes estimadas já vão explodir em breve — e continuar por mais tempo, pois a infecção não diminuiu e não existem medidas para combatê-la. Viu como tudo era assustadoramente simples?De repente, estamos falando de números que estão no reino dos filmes de terror — mas essa é a lógica exponencial da pandemia. Atingir meio milhão de mortos de repente parece eminentemente plausível exatamente porque estamos prestes a atingir picos e ondas de infecção e mortalidade seguidamente, afinal, sem o achatamento da curva a pandemia dura muito, muito mais tempo do que o necessário.Bang! Criamos uma tragédia inimaginável feita de desnecessárias mortes em massa.Essa tragédia será maior do que qualquer guerra na história moderna. Não estou brincando quando digo que essa onda de mortes está prestes a se tornar um tsunami.E — como se fosse uma deixa — lá está o presidente Trump, dizendo claramente aos americanos que eles são dispensáveis.** Eles são “ guerreiros” que precisam se sacrificar — nesse caso, mártires da causa fútil da reabertura de uma economia muito cedo, o que simplesmente não pode ser feito por ninguém. Pense muito bem sobre tudo isso por um segundo — porque meu palpite é que, como muitos de nós, você está se esforçando demais para evitar pensar sobre esse pesadelo. Aqui estão os fatos — apenas os fatos simples.90% das mortes —  mais de 60.000 pessoas — já são desnecessárias. No futuro, porque não vemos nenhuma tendência de queda estabelecida, nenhuma curva será achatada e então teremos algo como 100% das mortes desnecessárias — algo entre 200 mil e meio milhão de pessoas. ** Por fim, os EUA terão centenas de milhares de pessoas mortas desnecessariamente. Como resultado direto de nada além de negligência, loucura e irresponsabilidade.Os Estados Unidos estão envolvidos em uma catástrofe autoinfligida em uma escala completamente intangível por qualquer pessoa. Você está prestes a embarcar em um carro rumo a um desastre sem paralelo na história moderna. Afinal, qual outro nome você daria ao número de mortos desnecessários se aproximando de meio milhão?Isso faz você estremecer? Talvez sim, talvez não. 

Deveria, mas os norte-americanos; os norte-americanos são diferentes. 

Pelo menos alguns deles — o suficiente para que o American Idiot se torne uma lenda global. Na América, no momento, estamos entre a indiferença em massa a morte em massa. Claro, você pode se importar, e seus amigos podem se importar, e até Don Lemon pode ser levado a lágrimas impotentes e enfurecidas pela CNN. Mas a sociedade como um todo parece dar de ombros indiferente. Os americanos ainda se reúnem no Central Park e em Long Beach, como se não se importassem com o mundo. Enquanto isso a Coreia do Sul alcançou o marco de nenhuma morte por Coronavírus, basicamente porque seus cidadãos parecem realmente se importar um com o outro.Isso não é um discurso retórico. É um apelo, suponho, para que algum tipo de, como posso explicar, sanidade? Ou seria apenas a um pedido de que a decência comum prevaleça?Nenhuma sociedade deve ser tão indiferente à morte em uma escala impensável como a América parece ser, agora. Como eu disse, por que não é de conhecimento geral que 90% das mortes por coronavírus são desnecessárias? Que elas eram evitáveis? Os americanos são ignorantes de uma maneira benigna, ou ignorantes porque são indiferentes?Quando uma sociedade se torna atraída pela morte em massa, ela cruza a última linha do colapso. Então essa sociedade torna possível que emerjam os piores tipos: autoritários, fascistas, monstros, os tipos de homens que colocam crianças em gaiolas em campos de concentração e que não apenas se safam de tudo, mas também fazem as pessoas aceitarem qualquer coisa. Quando as pessoas dão de ombros com a noção de meio milhão de seus concidadãos morrendo desnecessariamente, o que nos resta? Uma sociedade foi quebrada, em espírito, em mente, em pensamento, em ação.Uma sociedade assim não pode — não pode — ter um futuro. Essa sociedade deixou de ser uma sociedade e apenas mantém o social no nome. Veja bem, para que sejamos “uma sociedade”, devo, no mínimo, me importar se você vive ou morre desnecessariamente. Se eu estou feliz torcendo pela sua morte desnecessária, só para que eu possa tomar uma bebida no meu bar local, bem, não somos uma sociedade, somos rivais, adversários, inimigos. É perfeitamente OK para mim que você e seus filhos morram, desde que eu tenha meu prazer a curto prazo. Mas quando esse é o caso eu não apenas me tornei o alvo mais fácil do demagogo e a argila mais fácil para se moldar, como também me tornei o tipo de pessoa incapaz de qualquer uma das seguintes coisas: democracia, civilização, liberdade, justiça, decência e humanidade comum. Sou uma criatura que gosta de agressão, hostilidade, crueldade e defendo um individualismo restrito tão extremo que o resto de nós, morrendo por mim, não faz diferença alguma.Bang! Lá se vai a civilização.Isso pode parecer uma previsão pessimista. Bom, deixe-me garantir que não é. É uma previsão sombria. Americanos — ainda existem alguns que estejam sãos? — precisamos pensar muito, muito claramente, com muito cuidado, sobre o épico desastre que está ocorrendo atualmente. Façamos as perguntas difíceis sobre isso. A morte em uma escala tão vasta e tão incompreensível não é remotamente aceitável, sã ou normal. São números de pesadelos e gulags, os capítulos mais sombrios da história humana; são números de atrocidades e de gerações perdidas, de ruínas irrecuperáveis. Sinto muito por parecer duro. Mas deixe-me falar ainda mais claramente, correndo o risco de alienar você. A morte nessa escala — morte desnecessária — atinge o nível de qualquer genocídio. Sim, com certeza. Afinal, mais uma vez — do que mais você chamaria?E tudo isso levanta uma certa questão, pelo menos para aqueles de nós que ainda somos pessoas sãs e atenciosas. Em que momento a resposta do governo ao Coronavírus começa a se qualificar como um crime contra a humanidade?Talvez você pense que estou exagerando. Então deixe-me lembrá-lo. Já estamos tendo um 11 de setembro em alguns dos dias. Em um mês, teremos um todos os dias.E 90% dessas mortes já são desnecessárias. Estamos prestes a ter dois, três, quatro 11 de setembro todos os dias, conforme a taxa de mortalidade dispara, sob o plano autodestrutivo de “reabrir a economia”, em vez de apoiar empresas e famílias nesses tempos difíceis. A morte nessa escala chocante não se torna um crime contra a humanidade?E se não — o que isso diz sobre nós? Talvez, no final, tenhamos ficado indiferentes à violência nos perseguindo, rindo, de mãos dadas com a morte exatamente porque já estávamos desumanizados há muito tempo.Umair 

 Maio de 2020