Um amigo me mandou essa imagem no Whatsapp. É incrível como eles (a direita) precisam sempre meter uma acusação muito louca e de senso comum contra seus inimigos. E não pode ser algo que dê margem. É sempre algo que ninguém vai se dizer a favor, claro, mas eles colam essa pecha nas pessoas que eles enxergam como inimigos pra minar a reputação. Esse cara do Terça Livre é muito provável que esteja metido em milhares de processos por assédio na carreira, mas ele ataca os outros antes que role alguma coisa pra cima dele. A CPI das fake news tá com ele pelas bolas. Os caras tão ficando muito mais agressivos na medida em que as investigações adiantam pra cima deles. Então, eles precisam se defender criando rotas alternativas pra tirar o foco deles.** Prenderam a Sara Inverno — e era o que ela queria — e agora eles têm uma imagem pra ficar batendo o tempo todo, invocando a liberdade de expressão para discurso de ódio e nazifascismo.Uma vez um ex-colega de UFRGS meu escreveu um artigo pro Papo de Homem falando que uma manifestação anticorrupção é completamente vazia porque ninguém defende a corrupção, a corrupção é um sintoma de uma união estatal doente.** Dizer que é contra a corrupção ou pedofilia não é como dizer que não gosta de alho, ninguém que esteja são vai ser a favor disso.Os caras são sociopatas, perversos e mentirosos compulsivos. Enquanto esse sistema online gerar engajamento e dinheiro pros movimentos de alt-right é lutar contra o vento. Mas pra conseguir desbaratar isso, só com as big techsfazendo alguma coisa de fato. O problema é que elas não fazem porque isso gera MUITO dinheiro pra elas via publicidade. Algoritmos recomendam os vídeos mais absurdos, que vão de discurso de ódio ao terraplanismo exatamente porque essas empresas sabem que esses vídeos geram dinheiro pra elas e, por tabela, aos seus criadores. Um cara que viu o vídeo “os 10 melhores gols do Pelé” tem chances de ter visto “Nando Moura”. Só que o Nano Moura infla os números dele via grupos de Facebook e Whatsapp. Daí quando o Google “pesa” o vídeo, o Nando Moura é quem mais retorna visualização pra eles (e assim, mais dinheiro com propaganda) e isso gera mais dinheiro pro Nano Moura e coloca ele sempre no topo dos resultados relacionados.O ideal era o Google não fazer isso, não ter algoritmo de indicação.

Como isso não tem como ser feito, porque eles não querem, dá pra usar um frontend pro Youtube que apaga os teus rastros, como o Invidious.

No Twitter, ao invés de usar o app oficial, usar um alternativo de código aberto, como o Twidere. Facebook e Instagram não tem como, mas, dá pra apagar o teu rastro nas opções de marketing deles. É uma luta de formiga, poque tu sozinho não muda nada. Mas se as pessoas da esquerda, todas, fizessem isso — colocar os vídeos no Vimeo ao invés do Youtube, fazer transmissão no Mixer ao invés de no Youtube, direcionar tráfego do Twitter pro Mastodon ou pro próprio blog etc. Mas não tem como, eu entendo, alcançar as pessoas através de plataformas alternativas. Existem diversas alternativas sem algoritmos, mas isso cobra um custo de engajamento e alcance.Abaixo, três artigo para entender melhor como funciona o esquema de financiamento da direita brasileira e mundial através da propaganda algoritmizada das empresas de tecnologia.COMO O YOUTUBE SE TORNOU UM CELEIRO DA NOVA DIREITA RADICAL *Financiamento de “fake news” pelo governo federal escancara os perigos da publicidade programática *Algoritmo do YouTube impulsionou canais de extrema-direita nas eleições de 2018** E pra quebrar o círculo de mau humor, chegou no Brasil o sistema de pagamentos via Whatsapp. O principal atrativo, segundo o próprio Zucko (em tradução minha do seu post sobre o sistema de pagamentos) é que pequenas empresas consigam cobrar e receber seu dinheiro via Whatsapp de forma fácil e transparente.>Hoje estamos começando a lançar um modo de pagamentos para pessoas que utilizam o WhatsApp no Brasil. Estamos tornando o envio e recebimento de dinheiro tão fácil quanto compartilhar fotos. Também estamos permitindo que pequenas empresas façam vendas dentro do WhatsApp. Para fazer isso, estamos construindo o Facebook Pay, que fornece uma forma segura e consistente de fazer pagamentos através de nossos aplicativos. Quero agradecer a todos os nossos parceiros por tornarem isso possível. Estamos trabalhando com bancos locais, incluindo o Banco do Brasil, Nubank, Sicredi e a Cielo, o principal processador de pagamentos para comerciantes no Brasil. O Brasil é o primeiro país onde estamos implementando amplamente os pagamentos no WhatsApp. Mais em breve! Seria uma quebra e tanto no iFood se isso ocorrer se forma limpa e plana. Eu usualmente já peço comida via Whatsapp e pago na entrega, se tiraram uma barreira e conseguirem deixar o uso desse tipo de pagamento transparente e fácil de fazer, iFood e Rappi terão alguns problemas no futuro, principalmente em periferias.E claro, não consigo deixar de imaginar, como pontuou uma amiga minha, quantos golpes vão se criar depois disso. Vai ser muito mais fácil pedir dinheiro para familiares e aplicar golpes em idosos. Vai ser preciso um grande trabalho de conscientização daqueles mais velhos ou menos afeitos à tecnologia para usar esse recurso (esse e qualquer outro recurso de tecnologia que utilize-se de meios de pagamento “ seamless”). Mas, se for pra rachar o carte de Uber/Rappi/iFood eu aceito o risco e até mesmo a ideia de usar mais uma ferramenta do Facebook (que vai provavelmente cruzar os dados de pagamentos/consumo para otimizar o algoritmo de publicidade do Instagram e do Facebook).Recurso de pagamentos no WhatsApp chega ao Brasil para pessoas físicas e pequenas empresas