Uma parte da literatura médica diz que quando a pessoa toma a decisão final de se matar ela tem uma melhora no humor e que isso provavelmente se deve ao fato de que, finalmente, a pessoa tomou uma decisão em relação aquilo que estava sufocando a sua vida. É tirar um peso enorme da pessoa, finalmente.

Depressão é um processo longo e não é algo que ocorre em 2/3 semanas. A verdade é que as pessoas com depressão tem longos e penosos processos onde elas se enxergam como fracassos completos e incapazes de mudar uma situação terrível. O Nerdologia fez um ótimo vídeo sobre isso, mostrando, inclusive, como se dá o processo da tomada de decisão em se matar. Recomendo, apesar de ser um vídeo pesado.

Eu luto com depressão desde 2013, pelo menos. Nesses anos todos o sentimento de fracasso é cada vez mais e cada vez mais o ato de viver se torna pesado. Muito disso é pressa interna por eu ter 35 anos, desempregado, morando com a mãe (e completamente dependente financeiramente dela) e solteiro e, principalmente, por me ver completamente incapaz de mudar essa situação.

Junto disso eu desenvolvi de 2016 pra cá, por culpa da violência extrema que tomou a ZN de POA (Sarandi) uma ansiedade muito grande. Foram vários assaltos e tentativas em pouco mais de 2 anos que me tornaram uma pessoa completamente incapaz de sair de dentro de casa (consegui trabalhar ano passado como tradutor remoto mas estou sem trabalho desde fevereiro) e desde alguns meses atrás eu passei a ter medo de morrer de ataque cardíaco dentro de casa. Já fui em cardiologista e fiz eletrocardiograma para ver se não tinha nada errado comigo e o resultado deu tudo normal (ele atestou que eu não tenho problemas cardíacos) mas mesmo assim, quando eu meço a minha pressão arterial pela primeira vez no dia eu tenho um mini-ataque de ansiedade e ela sobre a 15/10. Depois, nas medições logo em seguida (mesmo, de medir logo depois de terminar a primeira) essa pressão vai baixando até níveis normais como ~12/7 e ~13/8. Ou seja, é de fato totalmente de fundo psicológico isso. O problema é que eu não consigo não pensar eu posso morrer dentro de casa (estou, por exemplo, procrastinando a colocação de uma prateleira no quarto do meu irmão porque eu tenho que tirar ela do meu quarto e colocar no dele e, esse processo, me dá um medo muito grande de forçar o coração e morrer).

A minha ansiedade que antes me impedia de conseguir um emprego porque eu tinha que trabalhar diariamente pegando ônibus, passou pra me impedir de sair com os amigos da faculdade e atualmente está me deixando em estado de alerta o tempo todo para um possível ataque cardíaco que não tem fundo nenhum para ocorrer.

Quem quiser saber mais sobre ansiedade, o Antídoto fez um bom vídeo explicando de maneira bem simples o que é ansiedade.

Finalizando: quem tem depressão tem, acima de tudo, uma luta interna que nos consume silenciosamente diariamente. Ninguém quer se matar, mas esse ato extremo às vezes é o modo que se encontra para pôr fim ao martírio que a vida se torna. E esse tipo de ato extremo não tem explicação fora da doença que cada um carrega.

Indico, além do Nerdologia, dois vídeos do Buzzfeed sobre o tema (são bons) que tratam sobre quem tentou se matar (e se arrependeu no instante seguinte ao ato) e sobre quem fica quando perde um ente querido. São pesados (me fazem chorar sempre que eu assisto) então eu recomendo que você os veja quando estiver e quiser entender um pouco melhor tudo isso.

Vídeo 1: I Jumped Off The Golden Gate Bridge

Vídeo 2: What It’s Like To Lose Someone To Suicide