Fonte da informação abaixo

  1. Sobre Estados, Municípios, quando o gatilho for ativado, veda a concessão, A QUALQUER TÍTULO, de reajuste. Isso implica em algo pior que congelamento: é redução de poder de compra de uns 4,5% todo ano. E não é por 15 anos. É pior. É PERMANENTE;

  1. Já tem um monte de Estado e Município com gatilho ativado, o que torna o congelamento automático. A esmagadora maioria dos servidores estão nos Estados e Municípios. E são justamente os mais pobres. No caso dos Estados, a situação hoje é essa (metodologia do Tesouro);

  1. No caso dos municípios, várias capitais já estão com o gatilho ativado. Fora que para eles pode ter acionado o gatilho em 85% de forma facultativa. Olhem a situação das capitais (dados do Tesouro);

  1. No caso da União, o congelamento, ou melhor, A REDUÇÃO DE PODER DE COMPRA, está no dispositivo abaixo! E já teremos órgão (DPU) com salário congelado MESMO NO ÂMBITO FEDERAL. Fora que a União entra no gatilho do 167 quando estivermos em decreto de calamidade;

  1. A Defensoria Pública da União já está com gatilho ativado! Ou seja, é ERRADO DIZER QUE NÃO TEM CONGELAMENTO NA PEC;

  1. Por fim, mas não menos importante, não precisava desta PEC para pagar o auxílio. Essa PEC, pelo contrário, colocou um teto para o auxílio. Crédito extraordinário já está fora do teto de gastos na própria Emenda Constitucional nº 95. Bastava o governo mandar MP;

  1. Tomaram duas semanas do parlamento para votar uma fraude. Uma mentira. O objetivo da PEC era fazer ajuste fiscal em cima de servidor. Não tinha a ver com auxílio. Sobre o auxílio, a PEC FERROU o pagamento de um valor digno por um prazo decente!
  2. E uma observação, o ente que não cumprir o 167-A, que trata dos CONFISCOS, toma vedação.